Saudades

NASCE  UMA  ESTRELA

Vera Olinda

 

Nascer e morrer são complementariedade e mistérios. O bom é que os mistérios não são desvendados e assim não quebram os encantos da vida. Acredito que os seres encantados, os seres iluminados, nos sustentam na terra. Acho que eles nos mantêm ligados a natureza. São muitos os bons seres iluminados em órbita e,  ontem, dia 20 de dezembro de 2010, ganhamos em outro plano a força da proteção do Sr Raimundo Luiz Yawanawa, que fez sua passagem. 

 

Ficamos todos tristes, ficamos com saudade. Mas confortados pela força transformada do “Velho Raimundo”, como era chamado com carinho.  Já sabemos de sua trajetória como liderança yawanawa, que lutou pela sua terra, que organizou seu povo para este mundo diverso. Junto com a luta pela terra o “Velho Raimundo” era um homem muito sabido. Sabia muito dos conhecimentos indígenas milenares. Sabia dar conselhos, sabia e gostava de ensinar, sabia ouvir. Outra característica marcante era o encanto absoluto com sua risada altíssima,  inconfundível, que muitos de seus muitos filhos herdaram.  Alegre, muito alegre. Como um membro nato da família lingüística pano, sua etiqueta de bem receber era absoluta: convidava, oferecia, trocava, informava, encantava o visitante e adorava filosofar.  Incrível sua capacidade de entender e explicar as coisas,  o mundo, os fatos dos mundos indígena e não indígena.

 

Bravamente  segurou  firme um tratamento de quimioterapia em Rio Branco, mas foi em Tarauacá, mais perto de sua terra indígena e de seus parentes, que escolheu virar um ser iluminado. Na verdade ele fez uma parada em Tarauacá, no caminho de volta para sua aldeia atual, chamada Mutum. Ontem, subiu o rio numa canoa, passou pelo Mutum e vai ficar todo o tempo no Kaxinawa, o primeiro lugar do povo Yawanawa, o lugar atual dos sábios e dos seres iluminados.

 

Um pouco antes de ir por definitivo conversou com Julia, Tashka, Mariazinha, Sales e outros familiares e pediu que segurassem o que ele começou, pediu que cuidassem da terra indígena, que não voltassem atrás, que seguissem seus ensinamentos. Eles disseram que assim será.

 

O Velho Raimundo Luiz foi uma escola diferenciada para nós todos. Agora virou ser iluminado,  ou nasceu estrela, mas  sua luz continuará brilhando em florestas e cidades  para fazer deste, um mundo mais pró índio.

AGENCIA DE NOTICIAS DO ACRE

Nota de despedida e pesarImprimirE-mail

21-Dez-2010
O Governo do Estado apresenta seu sentimento de pesar e de solidariedade à família e ao povo Yawanawá pelo falecimento do grande chefe Raimundo Luis Tuin Kuru na madrugada deste dia 20, na cidade de Tarauacá.

Nascido em 1929, Raimundo era filho de Antônio Luis, que, ainda rapaz, estabeleceu os primeiro contatos com patrões no alto rio Gregório, e por décadas, no seringal Caxinauá, chefiou as famílias, oriundas dos vários povos, que hoje compõem o povo Yawanawá. Raimundo Luis assumiu esse papel com a morte do pai, mediando relações com os patrões e os missionários que se estabeleceram nas aldeias Yawanawá e Katukina no rio Gregório.

A partir de final dos anos 1970, Raimundo Luis liderou luta pelo reconhecimento pela FUNAI de uma terra indígena no rio Gregório. À época, esteve dentre as primeiras lideranças que vieram a Rio Branco participar das assembléias indígenas e reivindicar a demarcação das terras indígenas, a criação de cooperativas indígenas e programas específicos de educação e saúde. Incentivou jovens Yawanawá, como seus filhos Raimundo e Mariazinha Sales Luis e seu sobrinho Biraci Brasil a também virem a Rio Branco para estudar e assumir os desafios abertos com a criação da cooperativa e a organização da produção de borracha e de agricultura.

Com sua extensa família, em 1992, Raimundo Luis acompanhou a mudança do povo Yawanawá da velha sede do seringal Caxinauá para Aldeia Nova Esperança. Junto com os pajés Yawarani e Tatá, teve importante papel nos processos de retomada cultural, por meio dos rituais, cantos e expressões artesanais, dedicando-se a repassar seu vasto conhecimento para as crianças e os mais jovens e participando ativamente da organização dos Festivais Yawa, realizados anualmente em Nova Esperança.

Nos últimos anos estabeleceu moradia na Aldeia Mutum com sua extensa família. Ali abriu e zelou vasto roçado de plantas medicinais, dedicou-se à produção de artesanato tradicional, esteve junto com seus filhos e parentes na criação da Associação Sociocultural Yawanawá e continuou seu trabalho de repasse de conhecimentos, por meio de histórias e cantos, à gerações mais novas.

Com sua morte, o Estado do Acre e o povo Yawanawá perdem uma liderança e um “sábio da floresta” de imenso valor. Aos seus familiares, parentes e amigos mais próximos, nossos votos no sentido de que Deus conforte a todos nesse momento de dor e perda.  

Governo do Estado do Acre


Lembranças de cantoria de Raimundo Tuin Kuru com sua filhinha na rede

http://www.youtube.com/watch?v=4NlJ4QHv64A

Eternal Love

In memory of Raymundo Luis Tuin Kuru Yawanawa

1929 to 20/12/2010

 

My father. 

Today  he woke up and sleeps for eternity.

My best memories together, comes from my childhood when we used to walk through the forest, opening paths, fishing in the small streams and hunting in the forest. I remember you guiding us, and me and my brothers following you, there was singing and whistling songs that made you remember our  ncestors. I loved their whistles cutting through the silence of the forest. I will continue following your footsteps, I will keep listening to your advice and teachings. Sooner or later we will be together

Rest in peace my father.

The designer, who created this Naiwa Rakai, give you a well deserved rest. The Pupuwã, which sits right outside the spirit of the road, announces your arrival with trumpets. That all should come to meet you, hold your arm and take you to the village to meet our sacred ancestors. Sit down and take the place that was prepared for you.

 I ask for the moon, which illuminates the darkness in your crosses between the two worlds, show the path where we came from and where everyone will go.

I pray that the sun always shone among the woods, which always filled her heart with hope, show the road of spirits and bring my father to the old village.

I ask the stars to guide your steps, those stars who always were along the nights in the woods.

I ask the forest, you get back from where we came from.

You fulfilled your mission here on earth.  You fulfilled as a father, as a man, as a thinker, a visionary, as a great wife traditional Chief of the Yawanawa.

Your legacy will forever be with us.

Life was very generous with you. With the passage of time, life ran, life goes on and not waiting, as it is.

With eternal love,

Your son, Joaquim Tashka Peshaho Yawanawa

Amor Eterno,

Em memória de Raimundo Luis  Tuin Kuru Yawanawa
1929 a 20/12/2010


Meu pai.

Hoje acordaste para a eternidade e dormiste para o descanso aqui deste mundo.

Minhas melhores lembranças juntos, vem de infância, quando a gente costumava caminhar pela floresta, abrindo caminhos, pescando nos pequenos igarapés  e caçando na mata adentro. Me lembro você a frente, e eu junto com meus irmãos te seguindo, houvindo você cantar e assobiar as canções que te faziam lembrar de nossos antepassados. Adorava seus assobios cortando o silencio da mata. Vou continuar seguindo seus passos, vou continuar ouvindo seus conselhos e ensinamentos. Cedo ou mais tarde estaremos juntos

Descance em paz meu pai.

Que o criador, que criou esse nãiwã raká, te der um descanço merecido. O Pupuwã, que fica sentada bem na porta da estrada dos espíritos, anuncie a sua chegada com buzinas. Que todos venham ao seu encontro, te segurem pelo braço e te levem até a aldeia sagrada para encontrar com nossos antepassados.  Senta-te e assuma seu posto que foi preparado para ti.

Peço a Lua, que ilumine a escuridão na sua atravessia entre os dois mundos, mostre o caminho de onde viemos e onde todos iremos.

Peço ao Sol que sempre brilhou entre as matas, que sempre encheu o seu coração de esperança, mostre a estrada dos espíritos e leve meu pai para a aldeia dos antigos.

Peço que as estrelas, guie seus passos, aquelas estrelas  que sempre estiveram contigo nas noites enluaradas pela floresta a fora.

Peço que a floresta, te receba de volta, de onde viemos.

Cumpriste sua missão aqui na terra. Cumpriste como pai, como homem de família, como um pensador, como um visionário, cumo um grande sábio chefe Yawanawa.

O seu legado ficará para sempre com a gente.

A vida foi muito generosa com contigo. Com o andar do tempo, a vida correu, a vida segue e não espera, assim como ela é.

Com amor eterno,

Seu filho,  Joaquim Tashka Peshaho Yawanawa

 

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Norte, RIO BRANCO, JARDIM DE ALAH, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Viagens, Casa e jardim, casado, 2 filhas
MSN -

O que é isto?